Arquivo da tag: Star Wars

Star Wars: Battlefront | Jyn Erso está na nova DLC

A personagem Jyn Erso, protagonista do novo filme da franquia Star Wars, Rogue One: A Star Wars Story, foi exibida no trailer da nova DLC do game Battlefront, mostrando o mapa Scarif, um dos 4 que serão disponibilizados, além de novas batalhas e formas de jogo.

Em seu canal exclusivo para a série, a EA Sports publicou o vídeo mostrando mais da atualização, que chega no dia 6 de dezembro.

Confira!

Novos vídeos de Rogue One saem para a TV

Três novos spots de tv acabaram de sair, mostrando mais algumas cenas de Rogue One: Uma História Star Wars. No primeiro deles, vemos Jyn Erso e um pouco de sua relação com seu pai. O segundo explora mais o dróide K-2SO. Já o último carrega mais nas cenas de ação e as batalhas que o filme irá trazer.

Dá só uma olhada!

Como Daisy Ridley reagiu ao ouvir o tema da Rey pela primeira vez?

O canal de Star Wars, no YouTube, divulgou cenas dos bastidores da produção da trilha sonora, feita por John Williams.
Mas foram as reações de Daisy Ridley, que vive a personagem Rey no novo filme, que mais chamaram a atenção. Dá só uma olhada.

tumblr_o30dge4d2K1qd4rf5o1_500 tumblr_o30dge4d2K1qd4rf5o3_500

Confira o vídeo na íntegra:

Herdeiro do Império – Timothy Zahn

Star-Wars-Herdeiro-do-ImperioNas palavras do próprio autor Timothy Zahn, o dia em seu agente comunicou o convite para trabalhar em uma obra no mesmo universo de Star Wars foi um dos mais loucos e especiais da sua vida. Acho que deve ser parecido com o que todo fã sente ao iniciar a leitura de um livro do universo expandido. É mágico vivenciar mais aventuras e conhecer outros detalhes de Star Wars.

Em Herdeiro do Império, primeiro livro da Trilogia Thrawn (uma das mais aclamadas pelos fãs), foi muito legal poder acompanhar mais um pouco o trio Luke, Leia e Han em uma nova aventura. Os acontecimentos se passam 5 anos após o filme O Retorno de Jedi, mas não são mais considerados cânone (parte oficial da história nos cinemas) desde que a Disney comprou os direitos de George Lucas. Por quê isso? Para que J.J. Abrams ou qualquer outro diretor que fizer os próximos filmes tenha liberdade de criação.

A história apresenta um novo vilão, o grão-almirante Thrawn, que é um gênio militar envolvido em diversas atuações do império durante o embate com a aliança rebelde.

Thrawn se mostra um ser extremamente analista e talvez até mais intrigante/perigoso que o próprio Darth Vader. Ele tem grande nível tático e através dessas habilidades acaba encontrando uma possibilidade de reerguer o império após o última derrota com o fim da segunda Estrela da Morte na batalha de Endor.

Além de encontrarmos velhos conhecidos da trilogia, também são apresentados diversos novos personagens que fazem muito bem para o universo. Mara Jade, por exemplo, é uma assassina/caçadora de recompensas que alimenta um grande ódio por Luke; o negociante Karrde, que assumiu as operações do grande Jabba, e por aí vai.

Enfim, para as descrições de leituras não ficarem longas e chatas, o que priorizo aqui no Historiada, vale fazer um resumo/impressões pra você se decidir sozinho:

Herdeiro do Império, para mim, é um livro muito bacana, que tem uma aventura intrigante e envolvente. Mais do que isso, reviver todas as coisas do universo de Star Wars já colabora muito com a experiência, principalmente para grandes fãs que esperam cada novo filme ansiosamente. É uma experiência divertida, que no mínimo vai te deixar ainda mais por dentro dos acontecimentos dos antigos filmes e te mostrar personagens muito interessantes.

Editora Aleph
472pg.

Androides sonham com ovelhas elétricas? – Philip K. Dick

androides-sonham-com-ovelhas-eletricasUm filme que marcaria a história do cinema de ficção científica estava prestes a ser lançado quando Philip K. Dick veio a falecer. Tratava-se de Blade Runner, um filme dirigido por Ridley Scott que não foi tão bem sucedido assim nos cinemas, mas que após alguns anos teve seu merecido reconhecimento, se tornando um clássico pulp.

Philip K. Dick estava extremamente empolgado com a estreia, já que esse mesmo filme era não exatamente uma adaptação, mas uma obra baseada e nascida por causa de seu livro Androides sonham com ovelhas elétricas?. Infelizmente, ele acabou não conferindo o produto final completo.

O livro conta a história de Rick Deckard, um caçador de recompensas vivendo em um futuro distópico no Planeta Terra, onde veículos voadores, cidades devastadas, androides e habitantes remanescentes convivem juntos. A maior parte da população não vive mais por aqui, foram todos transferidos para uma colônia em Marte.

A decadência do cenário é visível e identificada pela vida comum e frustrada de Deckard. Ele atualmente trabalha para a polícia local “aposentando” androides perigosos e tem, como principal sonho, a ambição de comprar um animal de verdade, algo muito incomum no mundo atual, já que sua ovelha elétrica de estimação o envergonha além de dar alguns problemas. Rick, então, vê a oportunidade de realizar seu sonho quando é chamado para neutralizar seis androides Nexus-6, os mais avançados da atualidade, utilizando um novo teste de detecção, que poderão render um bom dinheiro para comprar seu prêmio tão sonhado.

416258-philip-k-dick-philip-k-dic-k-and-ridley-scott
O diretor Ridley Scott, à esquerda, e o autor Philip K. Dick, à direita.

Este é um dos poucos livros que li após assistir ao filme, geralmente eu evito fazer isso por mais difícil que seja, mas isso acaba não importando muito. Claro que o plot das duas obras é bem parecido, mas a história e os dramas apresentados são bem diferentes.

O universo que vemos no filme retrata bem o que senti ao ler o livro. Uma Los Angeles devastada em todos os aspectos, um ambiente underground e extremamente surreal, com pessoas que acabam não possuindo mais emoções reais, já que podem alcançar tudo eletronicamente.

Rick é um personagem muito crível, tomando atitudes que você na maioria das vezes concorda, mas acho que o personagem principal do livro é o mistério. Não são poucas as vezes em que o livro apresenta um enigma quase sem saída e te impressiona depois. Não preciso dizer também que Philip K. Dick é um aclamado escritor de ficção científica de uma época áurea do gênero, mas como foi o primeiro que li do autor, e um dos poucos sci-fi que já li, não tem como não se ficar admirado com as soluções que ele dá para diversas situações.

Cena do filme Blade Runner, protagonizado por Harrison Ford.
Cena do filme Blade Runner, protagonizado por Harrison Ford.

Outra personagem interessante é Rachel, uma bela moça que é a responsável pelo desenvolvimento desses novos androides na empresa de tecnologia Tyrell, e que parece saber mais do que diz a Deckard. Os diálogos entre ambos são outra atração à parte. Aliás, os todos os diálogos do livro são muito bem trabalhados; o que também demonstra ser uma característica do autor.

A versão que li foi a republicação da Editora Aleph e, o que dizer? Está incrível como a grande maioria das coisas que a Aleph faz. Juro, eles não me pediram pra fazer essa resenha e nem me pagaram pelos elogios, mas a Aleph tem feito um trabalho primoroso há algum tempo, e este com certeza é um deles. Além de uma edição linda e bem diagramada, a publicação possui um conteúdo exclusivo: a última entrevista dada por Philip K. Dick antes de falecer, que revela muitas facetas e loucuras do autor, além da expectativa com o lançamento de Blade Runner que citei no início. A capa também é fantástica, com um design que acompanha a série de relançamentos dos livros de Dick que a Aleph fez, e que é lindo.

Cena do filme que retrata o universo de Blade Runner.
Cena do filme que retrata o universo de Blade Runner.

Recomendo Androides sonham com ovelhas elétricas? com toda certeza, não apenas para você que ama literatura de ficção científica (aliás, tenho certeza que se você é um desses já leu) mas para todo mundo que queira se aventurar no tema ou que acha meio complicado; é um livro fácil de ler, lindo, com uma história incrível e que você vai gostar, sem dúvidas. 🙂

 

Nota: 8,5/10