Editoras devem cobrar por publicações?

Recentemente uma nova polêmica surgiu no mercado literário. Quer dizer, de nova ela não tem nada, mas a discussão aconteceu mais uma vez e, já que eu ainda não dei minha opinião sobre o tema, acho que vale a pena falar agora.

Começando do começo:
Acho que pode existir muita gente que não entendeu, então vamos do começo. É o seguinte: houve uma discussão entre leitores nas redes sociais após uma editora publicar uma matéria sobre uma jovem autora. Outros escritores, dizendo que a pessoa só conseguiu publicar seus livros porque a editora cobrou por isso. A partir daí, você já conhece como a internet funciona, né? Tropas de espartanos e persas se confrontaram.

E agora chegamos à pergunta do título dessa matéria. Então vamos lá.

Não quero ser parcial nem defender um dos lados, mas acho que é preciso entendermos como as coisas realmente funcionam. Todo mundo que ama literatura, como eu e provavelmente você que está lendo, pensa nas editoras com uma certa fantasia. Elas, por publicarem tantas obras que fazem parte das nossas vidas, acabam se tornando quase como máquinas de sonhos, de onde saem grandes publicações que gostamos, autores que admiramos tornam-se palpáveis, lançamentos que esperamos há séculos finalmente surgem e descobrimos novas histórias e personagens que vão acabar marcando nossa vida. Tudo isso é muito mágico e eu realmente também sou influenciado dessa forma.

livraria

Várias dessas pessoas, que gostam cada vez mais das obras e livros que chegaram até elas por meio dessas editoras, acabam desenvolvendo um outro desejo: o de escrever seu livro e publicar em um grande nome do mercado literário nacional. A pessoa começa ralando, quebrando a cabeça para pensar em uma história, escreve, reescreve, revisa, edita e finalmente considera seu material pronto para ser lido. E, como toda mãe, acha o seu filho recém-nascido o mais bonito do mundo.

Por outro lado, as editoras possuem o trabalho de receber dezenas, talvez centenas, de obras originais em seus escritórios a cada semana. Mas é claro que tudo que é recebido precisa ser lido, avaliado, considerado mercadologicamente e aprovado. E é só depois de tudo isso que o trabalho ainda mais árduo começa a ser realizado, com revisão, edição, produção, divulgação e, finalmente, publicação da nova obra.

Como disse antes, não quero puxar para nenhum dos dois lados, mas pense aqui comigo e imagine a dificuldade que deve ser trabalharmos com sonhos das pessoas. O cuidado que se deve ter para, em meio a essa quantidade infindável de livros que são recebidos todas as semanas pelas editoras, encontrar uma boa obra que esteja adequada ao momento do mercado e que seja promissora financeiramente. Deve ser extremamente difícil e, como todos sabemos, as “máquinas dos sonhos” são, na verdade, empresas. Elas precisam pagar funcionários, impostos, ter renda, lucrar e sobreviver financeiramente, ainda mais em um país com taxas tão altas, com leitores investindo tão pouco e que leem menos que os de muitos outros países.

Temos que entender também que o trabalho das editoras é de publicar seus livros, depois de todo esse processo citado. E claro, se uma obra não passou em todo esse crivo mas mesmo assim o autor quer publicá-lo por essa ou aquela editora, de qualquer forma o trabalho de edição, publicação e divulgação deverá ser feito. Portanto, também precisa ser pago.

banner3
Máquina de impressão em gráfica de grande porte.

Não quero entrar em valores, em quanto esse trabalho vale ou não, porque esse assunto é de cada editora, que tem capacidade para saber quanto sua operação deve custar, mas quero deixar claro que, se pararmos para pensar, é fácil entender que não é tão simples assim uma obra ser publicada. As editoras não têm nenhuma garantia de que o livro será um sucesso ou um fracasso, por isso precisam realmente realizar uma grande avaliação antes de publicá-lo. Se um livro não sobreviveu a esse teste e o autor quer vê-lo publicado mesmo assim, a forma encontrada por elas hoje em dia é essa. Nada que não possa mudar com o tempo ou com novos modelos de negócios, mas entendo que isso é viável para que os riscos sejam menores. E adiciono que nem todas as editoras realizam essa prática.

Por fim, se um autor realmente considera seu livro uma grande obra e pode investir nessa publicação, não existe nenhum problema. Se ele não puder, não é o fim do mundo. O jeito é correr atrás de editoras, avaliar aquelas que possuem uma identidade com seu estilo e gênero escritos e nunca desistir. Aliás, a melhor coisa a se fazer em qualquer dificuldade é nunca desistir.

martin

Acho que cabe a cada um avaliar sobre o tema e tirar suas próprias conclusões, mas sempre tendo em vista que os dois lados precisam ser considerados, o do autor e o da editora. Não acho ruim se um autor publicou seu livro com investimento próprio ou se foi descoberto por alguma editora. De qualquer forma a obra está sendo publicada e lida, o que é mais importante. É claro que todo escritor sonha em ver seu livro em diversas das maiores livrarias, ter seu lançamento com cobertura especializada e distribuir muitos exemplares autografados na Bienal, mas cada pessoa possui um caminho diferente para trilhar, alguns podem investir e outros vão ter que ralar um pouco mais pra que sua obra fique do jeito que uma editora quer e que ela precisa no momento do mercado.

Que tal então gastarmos menos tempo escrevendo comentários sobre polêmicas e investirmos nossa escrita em novos e ótimos livros? Acho que vai ser melhor para todos, sejam autores, sejam editoras ou o mercado. 🙂

Anúncios

5 comentários em “Editoras devem cobrar por publicações?”

  1. O pessoal é muito sem noção, faz mimi por nada. A pessoa pagar para ser publicada, não é diferente de quem gasta o próprio dinheiro para fazer filme ou aluga uma casa de shows para se apresentar, a pessoa tem o direito de seus recursos para realizar seus sonhos. Se vai para frente ou não vai depender do talento.

    1. Então Leandro, é verdade. Estive conversando com o Eric Novello sobre isso e o que ele me disse é muito interessante, de que o erro é as pessoas não encararem as editoras também como prestadoras de serviços editoriais, exatamente como você falou. Eu contrato, pago e recebo meu produto.
      Valeu! 🙂

  2. Adorei o último parágrafo haha’. Vivemos em um sistema capitalista e empresas precisam sobreviver, não acho injusto uma editora cobrar pela publicação de um livro, pois li a matéria de uma jornalista dizendo que o livro não é caro no Brasil e lá explica passo a passo do processo que envolve toda a escolha, desenvolvimento e publicação, além do mais toda profissão há um investimento no início, por que no mercado editorial tem que ser diferente?

    1. Pois é, como disse no comentário anterior, as editoras possuem dois papéis distintos: editoras e empregadoras, para o caso dos seus autores contratados, e prestadoras de serviços editoriais, para quem não é contratado mas quer publicar seu livro por ela. Se eu ou você somos um desses, é como qualquer outro comércio, paga e recebe o produto. Simples. hehehe!
      Valeu! 🙂

  3. Boa matéria Gustavo.
    Tudo é uma via de duas direções. Como escritor em busca de uma editora, eu poderia arriscar pagar para ter o livro impresso e o sonho realizado. Mas um trabalho importante feito pela editora é a distribuição, que eu teria dificuldade em fazer sozinho.
    Quando a editora lança algo, é como colocar um selo de qualidade que aquela obra foi bem revisada, diagramada, etc. Se o autor lança sozinho, corre o risco da dúvida. Por que nenhuma editora aceitou? Será um trabalho ruim?
    Para finalizar tem o lado comercial. Uma obra boa pode não conseguir editora por não ter grande apelo comercial, um livro de poesias muito denso por exemplo.
    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s