PRATICAMENTE INOFENSIVA – DOUGLAS ADAMS

ISBN: 9788599296981
Editora: Sextante
Ano de lançamento: 2010
Páginas: 192
Nota: 4/5
COMPARE PREÇOS

Os anos mais conturbados como um viajante solitário já haviam passado. Arthur Dent se resignara à nova condição e se acostumara à vida pacata e relativamente feliz como Fazedor de Sanduíches em Lamuella. Conquistara até um certo prestígio junto aos habitantes locais e fazia disso um bom argumento para continuar por lá. 

Ao mesmo tempo, Ford Prefect via-se num conflito profissional ocasionado pela repentina venda do Guia do Mochileiro das Galáxias para outra editora. Sem compreender o funcionamento do novo Guia – que passara a se “comportar” de forma estranha – e não gostando nem um pouco de seu novo cargo como crítico de restaurantes, Ford se mete em alucinantes roubadas para não sair prejudicado (e para obter algum lucro, é claro).

Em outro ponto do Universo, Tricia McMillan havia feito fama intergaláctica como repórter e levava uma rotina razoavelmente satisfatória, até um pequeno planeta chamado Rupert ser descoberto e tudo começar a dar estranhamente errado em sua vida.

Espalhados pelos mais insondáveis cantos da Galáxia, Arthur, Ford e Tricia iam tocando suas vidas da melhor forma que podiam, mas tudo se complica novamente quando eles se reencontram. Tentando manter a sanidade e salvar a si mesmos, eles acabam assistindo juntos ao inevitável destino da Terra. 

 

A série O Guia do Mochileiro das Galáxias acabou. E o autor, Douglas Adams, finalmente conseguiu mostrar um pouco dos melhores momentos ocorridos no seu primeiro livro, também no último.

Mesmo sendo escrito 10 anos após o quarto livro, Praticamente Inofensiva traz os personagens para um cenário parecido, fazendo com que pensemos que, de certa forma, a espera pelo último livro foi proposital, para que o leitor entre completamente no clima nostálgico.

Em muitas resenhas lidas por aí, vejo que os comentários não são muito bons a respeito deste livro, e há boatos de que Douglas Adams teve de correr contra o tempo para “entregar” a obra a tempo da publicação.

Sinceramente, pouco importa. Praticamente Inofensiva fez bem à série, trouxe um final até certo ponto imaginável, mas que deixa o leitor com liberdade para pensar nos acontecimentos póstumos, sem a necessidade de um “final feliz”, que considero digno.

Arthur, Ford e Tricia seguiram suas vidas e, anos após o último contato, se veem em uma nova aventura cheia de memórias dos velhos tempos e problemas não resolvidos. Mais uma vez eles são os salvadores da galáxia, e contribuem para o bem-estar de todos e deles mesmos.

Gostei do último livro e também do primeiro, e gostei muito do segundo. Mas, para mim, Douglas Adams não foi tão brilhante em amarrações ou viradas, talvez porque ache que nonsense por nonsense não tem sentido, por mais estranho que isso possa soar.

Enfim, Douglas Adams foi ótimo como escritor e roteirista, mas podia ter deixado um legado maior e talvez mais reconhecido com uma pitada maior de realidade. A série acaba aqui e vamos para as próximas histórias, tomara que melhor amarradas.

Mesmo assim, indico a leitura para seu acervo. Douglas Adams, O Guia do Mochileiro das Galáxias e a turma toda são e vão continuar sendo para sempre um clássico.

Leia as resenhas dos outros livros da série:
O Guia do Mochileiro das Galáxias (Série O Guia do Mochileiro das Galáxias #1) – Douglas Adams
O Restaurante no Fim do Universo (Série O Guia do Mochileiro das Galáxias #2) – Douglas Adams
A Vida, o Universo e Tudo Mais (Série O Guia do Mochileiro das Galáxias #3) – Douglas Adams
Até Mais e Obrigado pelos Peixes (Série O Guia do Mochileiro das Galáxias #4) – Douglas Adams

Se você gostou da resenha/post comente, compartilhe com seus amigos e e nos ajude a divulgar.
Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter para receber todas as informações sobre novos posts.

Anúncios

2 opiniões sobre “PRATICAMENTE INOFENSIVA – DOUGLAS ADAMS”

  1. Eu só li O Guia do Mochileiro das Galáxias até agora, preciso arranjar um tempo pra essa série porque o primeiro me rendou boas risadas com a loucura do autor. Depois desse livro o Eoin Colfer continuou a série, você viu? Acho ele tão louco quanto o Douglas Adams, deve ter ficado legal rs

    Beijos
    Tati

    1. Oi Tati. Sobre o sexto livro, eu vi sim, mas me recusei a ler por causa dessa história de outro autor e tal, mesmo com a família apoiando.

      Enfim, chatisse da minha parte. hahaha

      Mas obrigadão pelo comentário.

      Beijão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s